fbpx
Seja um MEI

Seja um MEI

O QUE PRECISO SABER ANTES DE VIRAR MEI?
Diante a crise econômica que estamos passando no Brasil, o tempo todo ouvimos pesquisas que indicam que grande parte dos brasileiros tem se reinventado, pequenos negócios vem surgindo na informalidade e conforme crescem vem chegando a necessidade de se formalizar. Então o que preciso saber antes de virar um MEI? O que é? O que eu ganho com isso?


MEI é o Micro Empreendedor Individual, foi criado no Brasil para que os trabalhadores informais estejam dentro da Legalidade e, principalmente, promover esta formalização com uma carga tributária reduzida. Através da formalização você passa a ter um CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Juridica) o que amplia as possibilidades de negócio para sua empresa. Com um CNPJ você amplia seus possiveis fornecedores, passa a emitir notas fiscais, o que impacta também no número de clientes, possibilitando inclusive que possa vender até para o governo. Além disso, a figura do MEI traz a facilidade na hora de abrir uma conta bancária como pessoa juridica, passando a ter acesso a crédito, a máquina de cartão e outros serviços de acordo com a instituição financeira que você buscar.
Outra coisa importante é que ele garante através de impostos reduzidos aposentadoria por idade ou invalidez, auxílio doença, salário maternidade, entre outros benefícios previdenciários. As vantagens são várias.


1 CONSULTE AS OCUPAÇÕES PERMITIDAS
Antes de tudo verifique que a ocupação que você exerce ou pretende exercer está prevista na figura do MEI. Mesmo atendendo a todas as condições para se formalizar, ou seja, mesmo que trabalhe por conta própria e fature no máximo 81 mil por ano, você também não pode ter participação nenhuma em outra empresa como sócio ou titular. É preciso verificar se sua profissão pode ser enquadrada como MEI, pois nem todas as atividades econômicas estão previstas dentro dessa categoria.


2 CONSULTA PRÉVIA
A consulta prévia constuma servir para verificar se a empresa pode funcionar no endereço desejado, além disso com essa consulta você pode conhecer as exigências municipais necessárias, se houver alguma a ser cumprida. Essa consulta pode ser feita na prefeitura ou administração da sua cidade. 


3 REGISTRO DA EMPRESA
Depois de consultar a ocupação, o seu endereço e as exigências municipais chegou a hora de registrar a sua empresa. O cadastro é feito exclusivamente no Portal do Empreendedor. Não é preciso entregar documentos em nenhum orgão. Olha que coisa boa!! Ali em baixo deixei o link, tá?


4. DOCUMENTAÇÃO PARA REGISTRO
Os documentos necessários para se registrar como MEI são:
– RG
– CPF
– Comprovante de residência
– Titulo de Eleitor
– Número de recibo de entrega da declaração de imposto de renda, caso tenha declarado nos últimos 2 anos
Uma novidade é que agora é necessário se cadastrar na Plataforma Brasil Cidadão. Mas esse cadastro é fácil, está detalhado no Portal do Empreendedor.


5. FINALIZAÇÃO DO PROCESSO DE REGISTRO DA EMPRESA
O MEI não tem contrato Social, os documentos que comprovam são o certificado de condição de MEi que é impresso após a finalização e o Cartão do CNPJ, impresso na Receita Federal.


Pronto! Você já é oficialmente um Empreendedor com todas as Obrigações e deveres.

Vamos mudar o Brasil? Empreender transforma! Se quiser mais dicas sobre empreendedorismo, tem um artigo onde falo sobre modelo e plano de negócios, clique aqui e visite-os.

Clique aqui e visite o site do MEI BRASIL

Um abraço e um ótimo final de semana

Planejamento estratégico para empreendedores

Planejamento estratégico para empreendedores

Porque alguns empreendedores tem sucesso e outros não?
A resposta é simples, alguns planejam, outros não.

O ano começou e seu planejamento estratégico da empresa já está pronto? Final de 2019 falei muito de planejamento, aspirações, intenções, sonhos..

Não sei a quanto tempo me acompanha, mas o nome da minha agência de comunicação era Stratégós7. Durante anos sonhei, planejei e estudei muito para construir uma empresa que fosse fiel as minhas crenças, que realmente estivesse de acordo com o que acredito. Como funcionário tive a oportunidade de aprender muito, experiências que me foram muito valiosas na hora de construir o meu plano de negócios e a minha empresa.

Agora vou compartilhar com você o meu ponto de vista como empreendedor e publicitário, como se fosse um bate papo, algo leve sem terminologias complicadas, vamos lá?

Ao atender clientes, observei que muitas vezes a empresa é bacana, a ideia também, mas eles não chegam lá. Não porque a empresa não é comprometida, ou porque o produto não funciona, mas por falta de estratégia. O mercado cresceu muito, com a entrada da internet o consumo mudou, a vida mudou e as empresas precisam entender que não adianta só abrir as portas, é preciso pensar em cada detalhe de como fazer isso, é preciso estratégia. E é hora de colocar em prática o planejamento estratégico, me diga você já fez o seu?

O planejamento na minha opinião é algo inerente ao ser humano, todos planejamos, mesmo que de forma inconsciente. Todos planejamos o tempo todo, na hora de preparar uma lista de afazeres, em uma festa de aniversário, uma viagem, uma recepção, ou até mesmo quando paramos e sonhamos com coisas que desejamos fazer no futuro.

Por que não deveríamos sonhar/planejar ao abrir um negocio? Planejar faz parte do dia-a-dia. Faz parte da rotina e deve ser encarado como tal. Toda vez que traçamos um objetivo, precisamos nos organizar para alcançá-lo. Traçamos metas, roteiros, organizamos etapas, pensamos nos desafios que vamos enfrentar, as oportunidades que vamos aproveitar, verbas, plano B, tudo isso nada mais é que planejamento. A sorte ajuda, mas planejar é fundamental. Principalmente no mundo empresarial.

Mas o que é planejamento estratégico?

Conceitualmente, o planejamento estratégico é um processo que determina como serão utilizados os recursos disponíveis da empresa para atingir o posicionamento desejado. O ideal é que ele ocorra de forma cíclica, ou seja, nunca tenha fim, lembra do método PDCA que escrevi para vocês? (https://brunofmorais.com.br/metodo-pdca/)

Para que o planejamento serve:
• Proporcionar a leitura do cenário atual da empresa;
• Identificar as estratégias possíveis de serem utilizadas, decidindo qual delas é a mais apropriada para o momento;
• Priorizar as ações que devem ser realizadas;
• Dentre outras visões que você julgue necessário, lembre-se que não existe uma regra de planejamento, o que existe é organizar suas ideias e mensurar como atingir os seus objetivos.

Para que ele não serve:
• Para tirar seu medo de empreender;
• Eliminar possível fracassos (todos fracassamos e é isto que nos tornam mais fortes);
• Ganhar dinheiro rápido;

Na verdade, o planejamento serve como apoio para tomar decisões atuais, que visam tornar o futuro empresarial mais seguro e saudável. Vale ressaltar que o planejamento estratégico serve para qualquer tipo de empresa, independentemente do porte. Além disso, pode ser utilizado por empreendedores que pretendem abrir um novo negócio e desejam que ele já inicie de forma estruturada.

Por fim, esse processo também é válido para que as empresas definam o caminho que irão seguir, de acordo com o momento pelo qual estão passando.

Ou seja meu amigo, minha amiga, deixe de MEDO e vá empreender, mas faça seu planejamento antes de tudo! Ah! mas eu não tenho empresa, uai então faz um MEI, pronto, agora suas desculpas acabaram!

Um abraço e até mais!

Marketing de Conteúdo: Atrair, converter e fidelizar clientes, esses são os principais objetivos

Marketing de Conteúdo: Atrair, converter e fidelizar clientes, esses são os principais objetivos

Anteriormente falei sobre o processo de compras e todos os diversos acontecimentos que influenciaram para essa mudança: avanços da tecnologia, a internet, a mobilidade, a correria do dia-a-dia, rapidez das informações, compra através de poucos cliques, redes sociais, etc. Essas mudanças no processo de compras geraram uma nova tendência de mudança para as empresas. Elas precisaram mudar sua forma de chegar ao cliente para adquirir sua atenção, pois já se sabe que hoje muitas vezes a decisão de compra acontece antes mesmo do contato com o vendedor.

Leia mais sobre o processo de compras aqui.

Essas estratégias para atrair a atenção do cliente se define muitas vezes na etapa onde o cliente ainda está decidindo entre seu produto ou do concorrente, processo esse que muitas vezes ocorre durante a pesquisa do problema/solução realizado pelo cliente, quando este decobre sua necessidade e pesquisa-se o tema pela primeira vez, considerando saber mais sobre aquele assunto antes de decidir. Empresas que auxiliam seu cliente neste momento geralmente saem na frente, ao solucionar suas dúvidas a empresa ganha credibilidade, confiança e autoridade antes mesmo do processo de compra.

Conteúdos que envolvem a criação de artigos relevantes ganham cada vez mais espaço na luta por reputação e credibilidade na internet, a maior vitrine de produtos e serviços do mundo. Pense atentamente em cada informação que você pode oferecer e que vai dar a segurança de quem de fato entende do assunto.

A internet se tornou o ponto de encontro entre empresas e clientes e, para que este relacionamento dê certo e seja duradouro, é preciso investir em estratégias que não só atraiam o cliente para o seu site, mas que também o façam retornar. Esta é a principal missão do Marketing de Conteúdo, que deve ser planejado de acordo com os objetivos da empresa e o público-alvo em questão.

Mas, na prática, como chegar lá? São muitas as opções de produtos de conteúdo, tanto para empresas B2B quanto B2C: desde posts no blog e ebooks a games, pesquisas de mercado, calculadoras e muito mais. Como saber qual o melhor para atingir os objetivos?

Há uma matriz de decisão interessante que trazemos no infográfico abaixo, que leva em conta o objetivo da empresa (do reconhecimento do cliente à decisão de compra) e o perfil do público-alvo (mais emocional ou racional). Vamos conferir?

Basicamente, a combinação dos dois eixos, o objetivo da empresa na horizontal e o perfil do cliente, na vertical, criam quatro quadrantes, que são:

1.Entreter
Para se relacionar de forma mais emocional com o público e com objetivo de reconhecimento, as opções de produtos de conteúdo seriam: vídeos, quizzes, competições e mesmo posts no blog e ebooks.

2.Inspirar
Na mesma linha mais emocional, porém com objetivo direcionado à conversão, são eficazes: depoimentos de celebridades, reviews de usuários, fóruns abertos à comunidade, ratings e certos eventos.

3.Educar
Para atrair um público mais racional ou que busca conteúdo sobre produtos e serviços corporativos, as opções mais interessantes são: pesquisas de tendências, infográficos como este acima, guias, posts no blog da empresa e ebooks também.

4.Convencer
Se o objetivo é conduzir o público com perfil mais analítico à tomada de decisão de compra, há vários produtos de conteúdo que podem ajudar: exemplos de sucesso e estudos de caso, listas de funcionalidades de produtos, demonstrações de uso, webinars, checklists e calculadoras.

Qual produto escolher?
Mais importante do que focar a atenção em um pool de produtos, é ter uma estratégia bem definida, que contemple uma mescla de formatos para cada etapa do ciclo de compra dos seus clientes. Escolher o máximo de opções (e executá-las com qualidade e foco no público-alvo) certamente traz mais resultados. O problema é que nem sempre o orçamento permite acessar alternativas mais caras, como fazer design de infográficos e desenvolver calculadoras e outras ferramentas dinâmicas, por exemplo. Nessas situações, o ideal é manter o blog corporativo sempre atualizado (para garantir a presença da empresa nas ferramentas de busca) e criar ebooks ou webinars focados em tirar dúvidas pontuais do público, para serem acessados mediante cadastro (permitindo a criação de um mailing de interessados).

Depois, com o tempo e o aumento das conversões, você poderá ir inserindo novas opções de formatos para que seu público acesse e consuma ainda mais conteúdo da empresa.

Ficou claro? Então mãos à obra!
Ah! Este infográfico é da galera da contentools #Obrigado

O QUE É MARKETING DE CONTEÚDO?

O QUE É MARKETING DE CONTEÚDO?

Hoje vamos falar sobre Marketing de Conteúdo. Você sabe o que é isso?
O marketing de Conteúdo é um conjunto de estratégias, que organiza o uso de conteúdo para obter resultados, no nosso caso digitalmente, mas pode ser feito de outras formas também (jornais, revistas, encartes) – ou seja é quando a empresa compartilha o conhecimento que ela tem para informar e atrair um público interessado em seu produto ou serviço.


Não entendi Bruno – Então vamos lá.
Após a internet chegar as nossas vidas, as nossas casas, o processo de compras mudou. Já falamos sobre isso em outras postagens, né? E isso transformou a forma de relacionamento do cliente com as empresas. O que foi ótimo para quem está inserido no mundo digital, pois reduziu custos e aumentou o alcance do conteúdo produzido.

Antes para encontrar conteúdo era necessário ir a uma banca de revistas, uma livraria, uma biblioteca, lá sim, era possível encontrar informações técnicas para solução do seu problema e ainda opções de produtos que eram anunciados nestas mídias e que poderiam ajudar. O que envolvia custos altíssimos e era muito difícil de mensurar, sendo alcançável apenas a empresas de grandes porte que tinham milhares de dólares ou reais para investir em publicidade. Hoje como tudo está online, é possível gerar conteúdo de toda parte. As revistas estão online, as informações são encontradas facilmente em buscadores, portais, sites, etc… tudo podendo ser produzido com baixo investimento, fácil mensuração e sendo possível por empresas de todos os portes, com alcances muito maiores.

O conteúdo deve aproximar o consumidor da empresa, como falamos anteriormente, a empresa deve fornecer o máximo de informações possíveis e soluções antecipando as dúvidas e as dores, para que o consumidor esteja próximo criando um verdadeiro relacionamento com a marca, produto ou serviço, transformando de forma verdadeiramente útil o dia-a-dia do cliente antes mesmo do processo de compra.


Sabe-se que 9 em cada 10 consumidores pesquisam antes de comprar um produto mesmo quando não compram em lojas virtuais e preferem as lojas físicas, eles ainda assim usam a internet para informar e se decidir. A interação portanto, começa neste momento quando dão o primeiro passo, muitas vezes nas ferramentas de busca, depois passando para as redes sociais, fóruns, sites de reclamação, sites, portais, blogs e também pelo site da empresa. Aliás vale destacar que ele (seu site) pode estar na primeira fase de busca, ou apenas na fase final quando procura detalhes técnicos sobre o produto ou serviço.

É necessário compartilhar conhecimento da sua empresa para informar e atrair o publico para obter resultados. Esse conhecimento deve vir através do marketing de conteúdo.


Mas Bruno, meu público não está nas capitais, não é jovem, não faz parte das classes A e B. Será que vale a pena?


Claro que sim! As pesquisas tem revelado que mais de 68 milhões de pessoas acessam conteúdos através de smartphones, e os números de acessos das classes C,D e E vem crescendo a cada ano, assim como a terceira idade que consome não só conteúdo, mas realiza compras e contratação de serviços online.

Mas entre todas as classes e faixas etárias as pesquisas mostram que o mais consumido na internet é: redes sociais, e-mails, vídeos e notícias, ou seja, conteúdo.

Então seu público provavelmente já procura seu mercado, como resolver os problemas deles usando o seu produto ou serviço? O problema é se não é a sua empresa que oferece as informações que ele procura, ai pode ser que o seu cliente esteja encontrando em outros lugares, até mesmo na concorrência. Por isso falo que é tão importante a presença online. Você precisa ser encontrado, o cliente deve ter fácil acesso e contato com você.
Cada empresa precisa se considerar um veículo de mídia. Se sua empresa descobrir isso e colocar em prática uma estratégia de marketing de conteúdo, certamente encontrará muito mais rápido resultados significativos.


Então, você já pensou nas informações que sua empresa pode oferecer ao seu consumidor? Não espere seus concorrentes fazerem algo para você se mexer, saia da zona de conforto e vá produzir!

Quer mais conteúdo? Inscreva-se em meu canal no Youtube Bruno Morais e me siga no Instagram @moraisbruno

Empreenderismo

Empreenderismo

Empreenderismo nos dias de hoje.

Está todo mundo empreendendo neste mundo globalizado, tecnológico, complexo e competitivo, mas qual o motivo de tanta mudança na forma de viver e produzir das pessoas?

A verdade é que para mim empreender é preciso, eu vivo para empreender, eu vivo empreendendo.

Amo empreender. Pode parecer clichê e brega, mas é verdade. Eu amo o que faço.

Diferente do que pensam, empreender não é nada fácil, na verdade acho mais difícil do que quando eu era empregado, mas me preenche. Parece loucura mais não é. O que observo neste nosso mundo confuso e corrido é que não há mais espaço para mesmices e nem vaga de emprego para todos. O ser humano está mudando e começando a enxergar novas necessidades.

O saber está em constante transformação e as profissões estão acompanhando as mudanças também; algumas profissões padecem e outras são inventadas, muitas estão nascendo agora. Olhe para seus filhos, netos, sobrinhos, pergunte o que querem ser profissionamente e muitos responderão profissões que na sua época (nossa época) nem eram profissões. Até a educação formal está sendo mais exigida como requisito mínimo no mercado de trabalho, antes ter curso superior era um diferencial, hoje eu olho para o lado e todos, sim, todos ao meu redor são qualificados, possuem curso superior, são pós graduados, MBA´s, mestrados, doutores… Mas em todas as atividades não é só isso que define quem fica, o que define é quem você é!

A postura que tem diante dos problemas, sua inteligência emocional, todos precisam ser atentos, ativos, preparados, ou seja, aptos a encarar as mudanças de mercado e os novos problemas que surgem todos os dias diante das mudanças de nossa sociedade. Os que não acompanharem provavelmente ficaram com posições de menos destaque que o mundo moderno exige.

Quando se opta por empreender é ainda mais dificil, empreender significa abrir mão da zona de conforto, abrir mão do salário certinho ali no 5˚ dia útil, é aprender a se organizar não financeiramente, mas como um todo, em tudo, em prol de algo futuro. É preciso ter sabedoria e persistência. Ao buscar a caminhada empreendedora é importante ponderar ainda no início seu momento pessoal, autoavaliativo e decisório. No momento que um indivíduo decide empreender ele deixa de ser mais um na multidão e ser torna “aquele um”, aquele que se diferencia por aquilo o que faz, aquele que se destaca pelo que faz.

O empreendedor nem sempre será o detentor de uma ideia super inovadora, ele precisa apenas trazer soluções viáveis, ter o espírito inovador, ser flexível e ter força de vontade para liberar todo o seu potencial.

Para começar provavelmente você possui um número enorme de ideias e vai observar que a maioria delas não se configuram como algo necessariamente inovador, mas podem ser ideias potenciais e que ao entender um pouco mais e analisá-las podem acabar refletindo a sua forma de ver um mundo mais justo e de acordo com seus ideais. Essa definição chamamos de nicho, a escolha do lugar que vai ocupar no mercado.

Escolhido seu nicho, é a hora de passar a fase de planejamento, para a construção de um negócio promissor.

O planejamento deve ser detalhado e você deve buscar o máximo possível de informações a respeito do negócio que deseja abrir e como se pode perceber não é uma ação rápida, mas deve ser organizada e com prazos definidos evitando a procrastição. Um empreendedor precisa ter disciplina e forma ativa para manter a roda sempre girando sem desanimar diante aos desafios que certamente vão aparecer.

A caminhada é desafiante e exige muito em três grandes âmbitos: pessoal, técnico e gestor. Se um deles faltar, todo o processo pode ser comprometido e até mesmo ruir. Muito será exigido de você. Tenha consciência que haverá dificuldades emocionais e práticas, mas que não deve esmorecer na busca da realização dos seus sonhos.


Então o que é empreender?
Empreender de acordo com o dicionário, significa decidir, realizar tarefa difícil e laboriosa. Em alguns a definição é como colocar em execução.
Nota-se com essas definições que o ato de empreender correponde a tentar, experimentar, decidir-se a fazer alguma coisa, resolver, por em execução, cismar, sentir apreensões.

Interessante essas definições, né? Hoje eu fiz questão de te enviar este e-mail exatamente às 8:37 da manhã, para que possa ler e ter um dia cheio de esperança, que você possa pensar bastante em começar seu primeiro negócio, que saiba que empreender não é fácil, mas é gratificante demais!


Querem saber o que eu penso de empreender?

Difícil e libertador, mas jamais trocaria por algo comum. Amo o que faço e tenho certeza que você pode se encontrar fazendo algo assim também.

Você está pronto para empreender em 2020?
Um abraço.

Processo de compras

Processo de compras

Como funciona o novo processo de compras. Eu estava na loja observando meus clientes e me lembrei de textos que li e vídeos que já assisti sobre este assunto e resolvi vir falar a minha visão de tudo isto.

A verdade é que algum tempo o processo de vendas e compras vem mudando. Há muito tempo atrás quando eu precisava comprar um produto para minha a casa como por exemplo uma geladeira, eu ia a uma loja e questionava o vendedor sobre quais as opções existentes, modelos, formas de uso, preço e o que me levava a tomar uma decisão de compra era o vendedor. 

Hoje em dia tudo mudou. Se eu realmente fosse comprar uma geladeira, eu iria pesquisar todas as informações da opções disponíveis online, vantagens e desvantagens de cada modelo, assistiria depoimentos de pessoas que já compraram e talvez eu nem fosse a uma loja para concretizar minha compra. Talvez eu comprasse online mesmo e pedisse para entregar na minha casa ou se eu sou daqueles que gosta de tocar no produto antes de receber, poderia pagar online e retirar em uma loja perto da minha residência.

A verdade é que hoje eu, ou o cliente, já chega na loja com as informações de compra daquele produto ou serviço. Já chega na loja sabendo o que é preciso comprar, onde comprar, o preço, como utilizar, pois todas as informações estão a um toque de distância dos nossos dedos. Todas as informações que vão guiar a nossa decisão de compra estão online! E é claro que sai na frente aquelas empresa que fornecem as melhores opções que ajudem o cliente a de fato realizar uma compra melhor.

O poder de decisão saiu das mãos de quem vende, e hoje está nas mãos de quem compra.

O processo de compra é na verdade um passo a passo, que acontece através de pequenas decisões.

1º passo: é quando eu identifico o meu problema, a minha necessidade.

2º passo: é quando eu procuro informações a respeito de soluções para minha necessidade ou problema, o que fazer para solucionar, como evitar que piore ou como fazer para melhorar e etc.

3º passo: é quando eu já li e parei para avaliar as alternativas encontradas.

Você vai buscar informações e provavelmente vai encontrar muita coisa, as vezes até muita encheção de linguiça. A internet hoje geralmente apresenta várias possibilidades de soluções, pois não se limita geograficamente. Desta forma aumentam as opções e vamos precisar avaliar bem para decidir o que é melhor para nós ou para a nossa empresa.

Só depois destes passos vem a decisão de compra. A decisão de compra define as informações técnicas, é quando o cliente questiona informações do serviço ou produto, verifica preço, formas e prazos de entrega, detalhes contratuais e o quão sua oferta é melhor que a de outra empresa similar.

Aqui podemos ver quais os diferenciais entre uma empresa e outra, um produto e outro e aí sim vem a nossa decisão de fazer a compra ou não.

Já ouviu falar sobre “ O importante não é correr atrás das borboletas. É cuidar do jardim para que elas venham até você.” (Mario Quintana) ISTO SE CHAMA PROCESSO! LEMBREM-SE SEMPRE DISTO!

Então… é preciso ir além do que todos já oferecem para mostrar seu diferencial, é preciso mais que descrição de produtos e e um discurso de vendas para conquistar de verdade seus clientes. A sua empresa precisa ajudar seu cliente a resolver suas dores, seus problemas, tirar suas dévidas, trazer soluções reais antes mesmo da venda.

Quer vender mais? ofereça complementos, explique o motivo, seja verdadeiro, venda apenas o necessário, não empurre ao seu cliente algo que ele não precisa.

Pense bem que informações úteis sua empresa pode oferecer para ajudar seu cliente na decisão de compra? 

Quais conhecimentos que você detém e que podem seus importantes ao seu cliente?

Como ele fica sabendo de você? Como te encontrar online?

Pense nisso. Responda. 

O processo de compras não é igual para todo mundo, pense bem na hora de vender seus produtos e serviços, um abraço e até mais!