fbpx
Cross merchandising

Cross merchandising

Cross Merchandising é uma técnica muito utilizada por supermercados, lojas e mercearias que tem por finalidade cruzar (cross) os produtos no ponto de venda que tenham entre si relação direta de consumo destacando-os entre os demais (merchandising). Essa técnica serve para lembrar o consumidor do produto (gerar interesse de compra) quando estiver comprando outro item.

Em linhas gerais é o famoso marketing de OLHO, ou seja, quando você vai comprar uma louça por exemplo, você precisa de algum produto para lavar elas, certo? Veja neste exemplo acima um exemplo de CROSS.

O Cross merchandising trabalha muito com as emoções e razões e vou te dizer por que. Quando você vai comprar por exemplo um pão é lógico que está comprando pela razão de querer o pão, mas se tem uma geléia diferente, uma manteiga com ervas, enfim algo que mexa com a emoção de provar algo novo ou de comer novamente aquilo que gosta, você acaba levando também o outro produto, entende? Cross é tipo um gatilho mental em pontos de venda, engraçado isso né?

Não atoa toda loja, supermercado, estabelecimento que tem um bom marketing, se utiliza de organizar seus produtos de maneira coerente e não aleatória. Tudo é pensado para que nós consumidores possamos levar não apenas um produto, mas diversos outros que se complementam. Note que quando vamos a estes lugares sempre temos ESTAÇÕES com produtos empilhados formando uma figura, barraquinhas para chamar a atenção, atendentes com roupas personalizadas, vitrines chamativas. Ah! junto com o cross dá para usar também o decoy marketing, viu?

Outro ponto do Cross Merchandising que deve ser utilizado de forma correta é sempre botar o produto em evidência com o maior preço e os complementares com preços mais acessíveis, desta maneira o consumidor acaba levando os demais pois além de complementarem eles estão mais baratos. Os produtos devem ser VISUALMENTE CO-IRMÃOS, o que isto significa? Significa que ao bater o olho o consumidor já entende que um sem o outro não faz muito sentido, sabe? Ou que com aquele produto complementar tudo vai ficar melhor ou mais gostoso é o famoso: “Opa! já que estou aqui vou levar este produto também, afinal ele está com um ótimo preço, nem vai deixar minha conta muito alta”.

1 ótimo exemplo de cross merchandisign para aplicar:

Live Marketing: As famosas degustações! Monte estações temáticas e ofereça degustações, muitos clientes vão a estes locais com fome ou querendo comprar aquele determinado produto, quando se deparam com este tipo de ação acabam levando o produto em questão também.

Bem gente é isto, a verdade é que utilizando o cross merchandising é umas das maneiras mais inteligentes e baratas de impulsionar suas vendas em seu estabelecimento. Um abraço e até a próxima!

Canais de atendimento

Canais de atendimento

Nessa nova era de relacionamento, os canais de atendimento são fundamentais para que seu negócio continue rodando e consiga novos clientes. Neste vídeo converso com vocês a respeito deste detalhe se não o mais importante, no mínimo crucial para que seus clientes se sintam prestigiados e queiram comprar.

https://youtu.be/_rFAIxajxWA

Aqui vou listar alguns canais que TODA EMPRESA pode ter sem ter que investir dinheiro, apenas investir tempo e dedicação:

1.E-mail: Que tal automatizar seus e-mails? Ao receber um orçamento, dúvida, sugestão ou crítica automatize com uma ação de pronta resposta, na internet ninguém gosta de ficar no vácuo, todos querem atenção e no menor tempo possível. Escreva uma resposta que seja mais pessoal utilizando o PRIMEIRO NOME DA PESSOA e dizendo que irá retornar dentro de X horas. Outra coisa legal é ter um PÓS-VENDAS, realize pesquisas de satisfação, lembre seu cliente de datas comemorativas, interaja com ele após uma compra, uma visita, ele vai se sentir importante. Um detalhe é que você deve ser o mais pessoal possível, para que ele sinta que ele não é apenas mais um, mas sim UM CLIENTE IMPORTANTE PARA VOCÊ.

2. WhatsApp e/ou Telegram: Crie seu WhatsApp Business e personalize respostas que são mais feitas em sua empresa, desta maneira você conseguira atender um número maior de clientes em menor tempo, bote as informações de atendimento (dias e horários), você também pode realizar seu pós-vendas por aqui.

3.Chat online: Hoje todo site pode ter um chat online sem ter que pagar mensalmente, se você utiliza o WIX ele já disponibiliza isto gratuitamente, se você tem um WordPress ou outra plataforma customizada você pode utilizar o JIVO CHAT ele também possui versões GRÁTIS E PAGA, legal que você pode incluir em suas páginas de vendas, blog, onde seu cliente estiver navegando dentro de seu site. É interessante que em todos os seus canais de atendimento possua uma pessoa que saiba lidar com o público, pois ela enfrentará RECLAMAÇÕES, assim como irá atender pessoas que são mais imediatistas que desejam tudo naquele momento, por isto que digo que é tão necessário ter ações de pronta resposta.

4. Telefone: Quem disse que ligação não dá certo? Neste caso é extremamente importante que você não haja como um TELEMARKETING, aqui você tem uma linha tênue, pois a grande maioria hoje em dia recebe várias ligações desnecessárias, logo você só deve ligar para informar algo que seja PERSONALIZADO PARA AQUELA PESSOA, não pode ser uma promoção genérica, tem que ser algo baseado já no comportamento de compra dela dentro de seu negócio. Outra maneira é utilizar ligações para parabenizar por datas importantes para ela, como: Aniversário, datas de casamento, aniversário de familiares, deve ser algo que ela não espere e sem que haja nenhum tipo de VENDA, apenas para demonstrar que você se importa com ela.

5. Redes sociais: Dentro do Facebook, Instagram, Twitter, grupos de relaciomentos (forúns) você DEVE TER um SAC! Hoje a facilidade de você pegar seu celular e pedir informações deve ter uma atenção maior. Cheque diariamente suas mensagens no privado, veja suas notificações em postagens, interaja com os usuários. Sempre responda seu cliente, nunca deixe ele sem resposta mesmo que seja uma crítica, fazer um bom gerenciamento de crise é imprescíndivel para toda empresa.

6. Reclame Aqui: Fique sempre atento a este canal, pois se você falha nos canais acima bem provavelmente ele irá ao RECLAME AQUI e realizar uma reclamação de sua empresa, caso isto aconteça não tenha vergonha em responder ele, resolva seu problema e mostre aos demais que sua empresa se importa com seus consumidores e leva isto muito a sério. Empresas que possuem muitas reclamações e não respondem costumam se afundar na internet, afinal hoje em dia todos nós antes de realizar alguma compra seja ela online ou não buscamos por recomendações e se a mesma possui reclamações.

People, seguindo estas dicas básicas você já terá uma bom desempenho em manter seus clientes ativos e atrair novos clientes com campanhas de marketing, pois os novos poderão ver o quanto sua empresa é comprometida e tem uma boa reputação! Não adianta de nada você ter um marketing FODA se o relaciomento é HORRÍVEL, preste atenção nisto e boas vendas!

Decoy Marketing

Decoy Marketing

Já ouviu falar da técnica DECOY MARKETING?

Decoy Marketing é uma técnica que visa influenciar o comportamento de compra do consumidor e o incentiva a adquirir um produto ou serviço mais caro ou mais barato.
Vejam este exemplo de vendas da revista The Economist:

≥≥ Teste de vendas da Revista The Economist:

• Oferta A

$59 somente a versão digital (68 pessoas escolheram)

$125 versão digital e impressa (32 pessoas escolheram)

Receita gerada: $8.012

• Oferta B

$59 somente a versão digital (16 pessoas escolheram)

$125 somente a versão impressa (ninguém escolheu)

$125 versão digital e impressa (84 pessoas escolheram)

Receita gerada: $11.444

A primeira oferta é bem tradicional e empregada por muitos lojistas, mas veja a sutileza da segunda oferta: ela dá um sentido promocional ao adquirir as duas versões da revista. Pelo valor da impressa, é possível receber as duas versões. Sem investir nenhum centavo extra, a empresa manteve sua estratégia de precificação, porém adotando um “produto extra”, com um preço que não existia antes.

Muito interessante, né?

Esta estratégia de Decoy Marketing é bastante eficiente para e-commerces e lojas físicas também e pode ajudar a impulsionar a venda de produtos pela precificação e por campanhas de marketing adotadas no processo. Agora que você já sabe como funciona, que tal implementar em sua estratégia de vendas?

Para vender mais é necessário ter uma boa organização, ter processos bem definidos e saber se comunicar.

Quem já é visitante recorrente, conhece a área de materiais gratuitos onde disponibilizo diversos materiais para sua empresa, marketing. Hoje recomendo você baixar este modelo de estratégia digital [ MODELO DE PLANEJAMENTO DIGITAL ] ele vai te ajudar a deixar tudo organizado.

Um abraço e até a próxima.

Marketing de conteúdo

Marketing de conteúdo

Hoje vamos falar sobre Marketing de Conteúdo. Você sabe o que é isso?
O marketing de Conteúdo é um conjunto de estratégias, que organiza o uso de conteúdo para obter resultados, no nosso caso digitalmente, mas pode ser feito de outras formas também (jornais, revistas, encartes) – ou seja é quando a empresa compartilha o conhecimento que ela tem para informar e atrair um público interessado em seu produto ou serviço.


Não entendi Bruno – Então vamos lá.
Após a internet chegar as nossas vidas, as nossas casas, o processo de compras mudou. Já falamos sobre isso em outras postagens, né? E isso transformou a forma de relacionamento do cliente com as empresas. O que foi ótimo para quem está inserido no mundo digital, pois reduziu custos e aumentou o alcance do conteúdo produzido.


Antes para encontrar conteúdo era necessário ir a uma banca de revistas, uma livraria, uma biblioteca, lá sim, era possível encontrar informações técnicas para solução do seu problema e ainda opções de produtos que eram anunciados nestas mídias e que poderiam ajudar.

O que envolvia custos altíssimos e era muito difícil de mensurar, sendo alcançável apenas a empresas de grandes porte que tinham milhares de dólares ou reais para investir em publicidade.


Vou te contar uma história do primeiro case de Conteúdo: The Furrow


A palavra conteúdo está em alta no cenário atual do marketing, seja para empresas de pequeno, médio ou grande porte. A estratégia costuma ser associada aos meios digitais, mas o que muita gente não sabe é que a primeira iniciativa de marketing de conteúdo aconteceu em 1895!

Trata-se da revista The Furrow, criada pela John Deere muito antes do surgimento do termo marketing de conteúdo.

Como qualquer ação de conteúdo, a revista não tinha o objetivo direto de vender produtos, mas DE ensinar sobre novas tecnologias e levar informações úteis a fazendeiros que buscavam aperfeiçoar seus negócios, foi um Sucesso instantâneo.

A chegada da revista The Furrow teve grande impacto no meio agrícola, já que até então não havia um material do gênero para informar os profissionais do campo.

A escalada de sucesso foi veloz e em 1912, menos de 20 anos após o lançamento, a publicação já chegava a 4 milhões de pessoas.

Hoje em dia, a The Furrow tem alcance global e tradução para 14 idiomas, porém não manteve a mesma base de leitores: são aproximadamente 2 milhões atualmente.

A redução deve ser relativizada se levarmos em conta a revolução provocada pela internet e a queda no meio impresso de uma forma geral.

Site da revista the furrow


A história mais do que centenária da marca John Deere ainda está sendo escrita. Hoje, segue amplamente reconhecida no meio agrícola e conta com suporte dos meios digitais – com uma página de conteúdo e redes sociais. além da tradução para diversos idiomas, inclusive o português.


Hoje como tudo está online, é possível gerar conteúdo de toda parte. As revistas estão online, as informações são encontradas facilmente em buscadores, portais, sites, etc… tudo podendo ser produzido com baixo investimento, fácil mensuração e sendo possível por empresas de todos os portes, com alcances muito maiores. Sabe-se que 9 em cada 10 consumidores pesquisam antes de comprar um produto mesmo quando não compram em lojas virtuais e preferem as lojas físicas, eles ainda assim usam a internet para informar e se decidir.

A interação portanto, começa neste momento quando dão o primeiro passo, muitas vezes nas ferramentas de busca, depois passando para as redes sociais, fóruns, sites de reclamação, sites, portais, blogs e também pelo site da empresa.

Aliás vale destacar que ele (seu site) pode estar na primeira fase de busca, ou apenas na fase final quando procura detalhes técnicos sobre o produto ou serviço.

É necessário compartilhar conhecimento da sua empresa para informar e atrair o publico para obter resultados. Esse conhecimento deve vir através do marketing de conteúdo.


Mas Bruno, meu público não está nas capitais, não é jovem, não faz parte das classes A e B. Será que vale a pena?

Claro que sim! As pesquisas tem revelado que mais de 68 milhões de pessoas acessam conteúdos através de smartphones, e os números de acessos das classes C,D e E vem crescendo a cada ano, assim como a terceira idade que consome não só conteúdo, mas realiza compras e contratação de serviços online.

Mas entre todas as classes e faixas etárias as pesquisas mostram que o mais consumido na internet é: redes sociais, e-mails, vídeos e notícias, ou seja, conteúdo.


Então seu público provavelmente já procura seu mercado, como resolver os problemas deles usando o seu produto ou serviço? O problema é se não é a sua empresa que oferece as informações que ele procura, ai pode ser que o seu cliente esteja encontrando em outros lugares, até mesmo na concorrência.

Por isso falo que é tão importante a presença online. Você precisa ser encontrado, o cliente deve ter fácil acesso e contato com você.


Cada empresa precisa se considerar um veículo de mídia. Se sua empresa descobrir isso e colocar em prática uma estratégia de marketing de conteúdo, certamente encontrará muito mais rápido resultados significativos.

Então, você já pensou nas informações que sua empresa pode oferecer ao seu consumidor? Não espere seus concorrentes fazerem algo para você se mexer, saia da zona de conforto e vá produzir!

Planejamento estratégico para empreendedores

Planejamento estratégico para empreendedores

Porque alguns empreendedores tem sucesso e outros não?
A resposta é simples, alguns planejam, outros não.

O ano começou e seu planejamento estratégico da empresa já está pronto? Final de 2019 falei muito de planejamento, aspirações, intenções, sonhos..

Não sei a quanto tempo me acompanha, mas o nome da minha agência de comunicação era Stratégós7. Durante anos sonhei, planejei e estudei muito para construir uma empresa que fosse fiel as minhas crenças, que realmente estivesse de acordo com o que acredito. Como funcionário tive a oportunidade de aprender muito, experiências que me foram muito valiosas na hora de construir o meu plano de negócios e a minha empresa.

Agora vou compartilhar com você o meu ponto de vista como empreendedor e publicitário, como se fosse um bate papo, algo leve sem terminologias complicadas, vamos lá?

Ao atender clientes, observei que muitas vezes a empresa é bacana, a ideia também, mas eles não chegam lá. Não porque a empresa não é comprometida, ou porque o produto não funciona, mas por falta de estratégia. O mercado cresceu muito, com a entrada da internet o consumo mudou, a vida mudou e as empresas precisam entender que não adianta só abrir as portas, é preciso pensar em cada detalhe de como fazer isso, é preciso estratégia. E é hora de colocar em prática o planejamento estratégico, me diga você já fez o seu?

O planejamento na minha opinião é algo inerente ao ser humano, todos planejamos, mesmo que de forma inconsciente. Todos planejamos o tempo todo, na hora de preparar uma lista de afazeres, em uma festa de aniversário, uma viagem, uma recepção, ou até mesmo quando paramos e sonhamos com coisas que desejamos fazer no futuro.

Por que não deveríamos sonhar/planejar ao abrir um negocio? Planejar faz parte do dia-a-dia. Faz parte da rotina e deve ser encarado como tal. Toda vez que traçamos um objetivo, precisamos nos organizar para alcançá-lo. Traçamos metas, roteiros, organizamos etapas, pensamos nos desafios que vamos enfrentar, as oportunidades que vamos aproveitar, verbas, plano B, tudo isso nada mais é que planejamento. A sorte ajuda, mas planejar é fundamental. Principalmente no mundo empresarial.

Mas o que é planejamento estratégico?

Conceitualmente, o planejamento estratégico é um processo que determina como serão utilizados os recursos disponíveis da empresa para atingir o posicionamento desejado. O ideal é que ele ocorra de forma cíclica, ou seja, nunca tenha fim, lembra do método PDCA que escrevi para vocês? (https://brunofmorais.com.br/metodo-pdca/)

Para que o planejamento serve:
• Proporcionar a leitura do cenário atual da empresa;
• Identificar as estratégias possíveis de serem utilizadas, decidindo qual delas é a mais apropriada para o momento;
• Priorizar as ações que devem ser realizadas;
• Dentre outras visões que você julgue necessário, lembre-se que não existe uma regra de planejamento, o que existe é organizar suas ideias e mensurar como atingir os seus objetivos.

Para que ele não serve:
• Para tirar seu medo de empreender;
• Eliminar possível fracassos (todos fracassamos e é isto que nos tornam mais fortes);
• Ganhar dinheiro rápido;

Na verdade, o planejamento serve como apoio para tomar decisões atuais, que visam tornar o futuro empresarial mais seguro e saudável. Vale ressaltar que o planejamento estratégico serve para qualquer tipo de empresa, independentemente do porte. Além disso, pode ser utilizado por empreendedores que pretendem abrir um novo negócio e desejam que ele já inicie de forma estruturada.

Por fim, esse processo também é válido para que as empresas definam o caminho que irão seguir, de acordo com o momento pelo qual estão passando.

Ou seja meu amigo, minha amiga, deixe de MEDO e vá empreender, mas faça seu planejamento antes de tudo! Ah! mas eu não tenho empresa, uai então faz um MEI, pronto, agora suas desculpas acabaram!

Um abraço e até mais!

Marketing de Conteúdo: Atrair, converter e fidelizar clientes, esses são os principais objetivos

Marketing de Conteúdo: Atrair, converter e fidelizar clientes, esses são os principais objetivos

Anteriormente falei sobre o processo de compras e todos os diversos acontecimentos que influenciaram para essa mudança: avanços da tecnologia, a internet, a mobilidade, a correria do dia-a-dia, rapidez das informações, compra através de poucos cliques, redes sociais, etc. Essas mudanças no processo de compras geraram uma nova tendência de mudança para as empresas. Elas precisaram mudar sua forma de chegar ao cliente para adquirir sua atenção, pois já se sabe que hoje muitas vezes a decisão de compra acontece antes mesmo do contato com o vendedor.

Leia mais sobre o processo de compras aqui.

Essas estratégias para atrair a atenção do cliente se define muitas vezes na etapa onde o cliente ainda está decidindo entre seu produto ou do concorrente, processo esse que muitas vezes ocorre durante a pesquisa do problema/solução realizado pelo cliente, quando este decobre sua necessidade e pesquisa-se o tema pela primeira vez, considerando saber mais sobre aquele assunto antes de decidir. Empresas que auxiliam seu cliente neste momento geralmente saem na frente, ao solucionar suas dúvidas a empresa ganha credibilidade, confiança e autoridade antes mesmo do processo de compra.

Conteúdos que envolvem a criação de artigos relevantes ganham cada vez mais espaço na luta por reputação e credibilidade na internet, a maior vitrine de produtos e serviços do mundo. Pense atentamente em cada informação que você pode oferecer e que vai dar a segurança de quem de fato entende do assunto.

A internet se tornou o ponto de encontro entre empresas e clientes e, para que este relacionamento dê certo e seja duradouro, é preciso investir em estratégias que não só atraiam o cliente para o seu site, mas que também o façam retornar. Esta é a principal missão do Marketing de Conteúdo, que deve ser planejado de acordo com os objetivos da empresa e o público-alvo em questão.

Mas, na prática, como chegar lá? São muitas as opções de produtos de conteúdo, tanto para empresas B2B quanto B2C: desde posts no blog e ebooks a games, pesquisas de mercado, calculadoras e muito mais. Como saber qual o melhor para atingir os objetivos?

Há uma matriz de decisão interessante que trazemos no infográfico abaixo, que leva em conta o objetivo da empresa (do reconhecimento do cliente à decisão de compra) e o perfil do público-alvo (mais emocional ou racional). Vamos conferir?

Basicamente, a combinação dos dois eixos, o objetivo da empresa na horizontal e o perfil do cliente, na vertical, criam quatro quadrantes, que são:

1.Entreter
Para se relacionar de forma mais emocional com o público e com objetivo de reconhecimento, as opções de produtos de conteúdo seriam: vídeos, quizzes, competições e mesmo posts no blog e ebooks.

2.Inspirar
Na mesma linha mais emocional, porém com objetivo direcionado à conversão, são eficazes: depoimentos de celebridades, reviews de usuários, fóruns abertos à comunidade, ratings e certos eventos.

3.Educar
Para atrair um público mais racional ou que busca conteúdo sobre produtos e serviços corporativos, as opções mais interessantes são: pesquisas de tendências, infográficos como este acima, guias, posts no blog da empresa e ebooks também.

4.Convencer
Se o objetivo é conduzir o público com perfil mais analítico à tomada de decisão de compra, há vários produtos de conteúdo que podem ajudar: exemplos de sucesso e estudos de caso, listas de funcionalidades de produtos, demonstrações de uso, webinars, checklists e calculadoras.

Qual produto escolher?
Mais importante do que focar a atenção em um pool de produtos, é ter uma estratégia bem definida, que contemple uma mescla de formatos para cada etapa do ciclo de compra dos seus clientes. Escolher o máximo de opções (e executá-las com qualidade e foco no público-alvo) certamente traz mais resultados. O problema é que nem sempre o orçamento permite acessar alternativas mais caras, como fazer design de infográficos e desenvolver calculadoras e outras ferramentas dinâmicas, por exemplo. Nessas situações, o ideal é manter o blog corporativo sempre atualizado (para garantir a presença da empresa nas ferramentas de busca) e criar ebooks ou webinars focados em tirar dúvidas pontuais do público, para serem acessados mediante cadastro (permitindo a criação de um mailing de interessados).

Depois, com o tempo e o aumento das conversões, você poderá ir inserindo novas opções de formatos para que seu público acesse e consuma ainda mais conteúdo da empresa.

Ficou claro? Então mãos à obra!
Ah! Este infográfico é da galera da contentools #Obrigado