fbpx
Cross merchandising

Cross merchandising

Cross Merchandising é uma técnica muito utilizada por supermercados, lojas e mercearias que tem por finalidade cruzar (cross) os produtos no ponto de venda que tenham entre si relação direta de consumo destacando-os entre os demais (merchandising). Essa técnica serve para lembrar o consumidor do produto (gerar interesse de compra) quando estiver comprando outro item.

Em linhas gerais é o famoso marketing de OLHO, ou seja, quando você vai comprar uma louça por exemplo, você precisa de algum produto para lavar elas, certo? Veja neste exemplo acima um exemplo de CROSS.

O Cross merchandising trabalha muito com as emoções e razões e vou te dizer por que. Quando você vai comprar por exemplo um pão é lógico que está comprando pela razão de querer o pão, mas se tem uma geléia diferente, uma manteiga com ervas, enfim algo que mexa com a emoção de provar algo novo ou de comer novamente aquilo que gosta, você acaba levando também o outro produto, entende? Cross é tipo um gatilho mental em pontos de venda, engraçado isso né?

Não atoa toda loja, supermercado, estabelecimento que tem um bom marketing, se utiliza de organizar seus produtos de maneira coerente e não aleatória. Tudo é pensado para que nós consumidores possamos levar não apenas um produto, mas diversos outros que se complementam. Note que quando vamos a estes lugares sempre temos ESTAÇÕES com produtos empilhados formando uma figura, barraquinhas para chamar a atenção, atendentes com roupas personalizadas, vitrines chamativas. Ah! junto com o cross dá para usar também o decoy marketing, viu?

Outro ponto do Cross Merchandising que deve ser utilizado de forma correta é sempre botar o produto em evidência com o maior preço e os complementares com preços mais acessíveis, desta maneira o consumidor acaba levando os demais pois além de complementarem eles estão mais baratos. Os produtos devem ser VISUALMENTE CO-IRMÃOS, o que isto significa? Significa que ao bater o olho o consumidor já entende que um sem o outro não faz muito sentido, sabe? Ou que com aquele produto complementar tudo vai ficar melhor ou mais gostoso é o famoso: “Opa! já que estou aqui vou levar este produto também, afinal ele está com um ótimo preço, nem vai deixar minha conta muito alta”.

1 ótimo exemplo de cross merchandisign para aplicar:

Live Marketing: As famosas degustações! Monte estações temáticas e ofereça degustações, muitos clientes vão a estes locais com fome ou querendo comprar aquele determinado produto, quando se deparam com este tipo de ação acabam levando o produto em questão também.

Bem gente é isto, a verdade é que utilizando o cross merchandising é umas das maneiras mais inteligentes e baratas de impulsionar suas vendas em seu estabelecimento. Um abraço e até a próxima!

Aparência do sucesso

Aparência do sucesso

Já parou para pensar como é a aparência do sucesso? Muitos fecham os olhos e imaginam uma pessoa engravatada, cheia de reuniões, carro caro, celular de última geração…

Mas com o passar do tempo este esteriótipo foi sendo desconstruído, pois com as novas tecnologias o tempo passou a ser um item cada vez mais escasso. O trânsito impossibilitando você de estar em diversos locais na hora certa, essa pandemia que mudou a rotina de trabalho. Hoje a aparência do sucesso poderíamos sugerir que é a pessoa que se organizou anteriormente, tendo bons processos, equipe qualificada, tecnologia moldada as suas necessidades e claro disposição para acompanhar o ritmo de mudança constante que estamos tendo nestes últimos anos, isto mesmo! neste últimos anos.

Muitos não perceberam que a maneira do consumidor lidar com as empresas mudou drasticamente, hoje (quase) todos possuem um celular com acesso a internet, logo podem pesquisar por preços, reputação da empresa/produto/serviço que estão contratando, possuem local de fala para expressarem suas opiniões (sites, redes sociais, e-mails) e o mais interessante é que eles mesmos fazem o marketing daquela empresa crescer, afinal hoje eles são influenciadores em seu bairro ou comunidade (digital).

Neste tempo de pandemia aprendi ainda mais o valor de uma relação transparente com o meu cliente, entendi o quanto valeu ter explicado a ele como era importante ele possuir um site onde tivesse todos os prós e até contras do seu produto/serviço, compreendi que nem todos tinham alguém para explicar a eles não só a importância, mas como fazer determinadas ações que poderiam ajudá-lo no futuro (no caso HOJE!). Para nós que trabalhamos com marketing é vital que tenham mais paciência com o cliente, não julgarmos ele por conta de uma opinião, mas sim saber ler sua postura e indicar o melhor caminho. Nestes tempos sombrios de COVID-19 muitos estão buscando o conhecimento e é exatamente nesta hora que você, sua empresa deve entrar, pois quando ensinamos, auxiliamos, ajudamos o nosso cliente, ou o nosso possível cliente, criamos uma atmosfera de reciprocidade, conseguimos conquistá-lo pelo carisma e isto pode ser feito POR QUALQUER EMPRESA DE QUALQUER RAMO.

Se você é da área de informática, por que não gravar alguns vídeos ensinando a como formatar o pc/mac dele? Ou como ele pode acessar a máquina que está no trabalho dele enquanto ele está em casa? Se você é da área de gastronomia (restaurante, bares, confeitarias…) por que não produzir conteúdos para momentos em família, como preparar um belo jantar ou sobremesa? Como fazer aquele drink que remete a memória gustativa daquela pessoa? Ah! você é da área automotiva? Já pensou em como reparar pequenos amassados? Como checar o óleo? Melhores práticas para lavar o estofado do seu carro?

Não importa sua área, sempre há questões a serem resolvidas e que muitas vezes o fato deles saberem como se resolve ele já vai acreditar em sua empresa, vai dar os devidos créditos, pois sabem que não estão sendo passados para trás, entenderão como é o processo e acreditem, por muitas vezes eles nem irão fazer, mas irão contratar você, sua empresa para realizar aquele serviço.

Conseguiram entender a aparência do sucesso? O conhecimento transmitido ele volta para você de qualquer maneira, essa sim é a aparência do sucesso, saber lidar com situações de maneira mais humana. Hoje estamos no digital, mas temos que lembrar que somos humanos, nossas reações são mais que likes, temos sentimentos, dentre eles o de gratidão e satisfação.

Quanto melhor for a sua reputação, melhores serão os seus resultados.

Seja mais humano no digital.

Posicionamento em marketing

Posicionamento em marketing

Hoje vou falar de posicionamento em marketing e foco com vocês. Sabemos que foco e posicionamento são extremamente importantes, não só na vida, mas principalmente nos negócios.

Foco, displina, posicionamento e determinação são fundamentais para quem quer ser dono do próprio negócio, é um líder e lida com o marketing diariamente.

Outro dia entrei numa loja de materiais de construção aqui pertinho da minha casa, tudo estava tão confuso, vocês não fazem ideia. Tinha cimento, tijolo, copo, talheres, jarras, panelas, tinha de tudo e eu que sou leigo nestas coisas me senti perdido.

Acabou que não achei o que procurava e nem comprei nada, aliás nem consegui ficar muito tempo dentro da loja, pois aquela confusão, desorganização estava me agoniando, sabe quando você fica meio apreensivo achando que está no lugar errado? Pois é eu estava assim.

Voltando para meu carro me lembrei de uma padaria que tinha na asa norte e eu estava bem pertinho dela, porém além de padaria era uma loja de ferregens e parafusos. Tenho certeza que se você é de Brasília vai se lembrar e identificar a dita cuja. Aquilo nunca fez muito sentido para mim.

Na minha humilde opinião e com toda a experiência que possuo, para ter um negócio é preciso ter organização, posicionamento e foco, principalmente quando você dispõe de um espaço físico reduzido. Não dá para vender de tudo para todos, nem oferecer todos os serviços se eles forem muito diferentes, isso pode confundir o cliente que não vai entender bem o que irá encontrar no estabelecimento e tomar algumas decisões e fazer julgamentos do seu negócio.

“Ter posicionamento em seu marketing é uma tarefa que é construída, o posicionamento não vem em uma mensagem dentro do biscoito da sorte, não!”

– Bruno Morais

Agora voltando….

Sabe quando você está andando e vê uma loja e começa a comentar com seus familiares e/ou amigos:

“- Poutz essa loja é muito boa, pena que eles não fazem x, y ou z. Eles não sabem que vendendo isso ou aquilo vão ter mais clientes”.

Enfim é deste julgamento mais ou menos que estou falando.

Então uma dica que dou é que para definir bem o seu negócio procure olhar com os olhos do cliente também, analise as necessidades, tente seguir uma lógica.

Identifique o que você faz bem e a segmentação do qual seu público alvo pertence. Seja criterioso e se planeje.

Uma vez identificado seu nicho e seu público, busque oportunidades.

Por exemplo: Um pet shop ele não vende só rações e utilidades para animais, é possível oferecer serviço de banho e tosa para agregar valor e gerar mais renda. Um posto de combustível, ele não vende só gasolina, ele faz troca de óleo, lavagem de carros e outros serviços.

Busque oferecer serviços completares ao seu produto ou serviço, mas eles precisam estar conectados a sua atividade principal da empresa, ao seu core business. Agregue valores, exclusividade, qualidade, estilo de vida, etc.

Entenda todo o processo de compras e planeje-se!

O que seu cliente quer é solução, qualidade e facilidades para seu dia a dia.

Se quiser saber como se posicionar, recomendo que aprenda mais sobre marketing de conteúdo. Um abraço e até o próximo post.

Aqui eu disponibilizo diversos materiais GRATUITOS para te ajudar com o seu marketing.

Seja um MEI

Seja um MEI

O QUE PRECISO SABER ANTES DE VIRAR MEI?
Diante a crise econômica que estamos passando no Brasil, o tempo todo ouvimos pesquisas que indicam que grande parte dos brasileiros tem se reinventado, pequenos negócios vem surgindo na informalidade e conforme crescem vem chegando a necessidade de se formalizar. Então o que preciso saber antes de virar um MEI? O que é? O que eu ganho com isso?


MEI é o Micro Empreendedor Individual, foi criado no Brasil para que os trabalhadores informais estejam dentro da Legalidade e, principalmente, promover esta formalização com uma carga tributária reduzida. Através da formalização você passa a ter um CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Juridica) o que amplia as possibilidades de negócio para sua empresa. Com um CNPJ você amplia seus possiveis fornecedores, passa a emitir notas fiscais, o que impacta também no número de clientes, possibilitando inclusive que possa vender até para o governo. Além disso, a figura do MEI traz a facilidade na hora de abrir uma conta bancária como pessoa juridica, passando a ter acesso a crédito, a máquina de cartão e outros serviços de acordo com a instituição financeira que você buscar.
Outra coisa importante é que ele garante através de impostos reduzidos aposentadoria por idade ou invalidez, auxílio doença, salário maternidade, entre outros benefícios previdenciários. As vantagens são várias.


1 CONSULTE AS OCUPAÇÕES PERMITIDAS
Antes de tudo verifique que a ocupação que você exerce ou pretende exercer está prevista na figura do MEI. Mesmo atendendo a todas as condições para se formalizar, ou seja, mesmo que trabalhe por conta própria e fature no máximo 81 mil por ano, você também não pode ter participação nenhuma em outra empresa como sócio ou titular. É preciso verificar se sua profissão pode ser enquadrada como MEI, pois nem todas as atividades econômicas estão previstas dentro dessa categoria.


2 CONSULTA PRÉVIA
A consulta prévia constuma servir para verificar se a empresa pode funcionar no endereço desejado, além disso com essa consulta você pode conhecer as exigências municipais necessárias, se houver alguma a ser cumprida. Essa consulta pode ser feita na prefeitura ou administração da sua cidade. 


3 REGISTRO DA EMPRESA
Depois de consultar a ocupação, o seu endereço e as exigências municipais chegou a hora de registrar a sua empresa. O cadastro é feito exclusivamente no Portal do Empreendedor. Não é preciso entregar documentos em nenhum orgão. Olha que coisa boa!! Ali em baixo deixei o link, tá?


4. DOCUMENTAÇÃO PARA REGISTRO
Os documentos necessários para se registrar como MEI são:
– RG
– CPF
– Comprovante de residência
– Titulo de Eleitor
– Número de recibo de entrega da declaração de imposto de renda, caso tenha declarado nos últimos 2 anos
Uma novidade é que agora é necessário se cadastrar na Plataforma Brasil Cidadão. Mas esse cadastro é fácil, está detalhado no Portal do Empreendedor.


5. FINALIZAÇÃO DO PROCESSO DE REGISTRO DA EMPRESA
O MEI não tem contrato Social, os documentos que comprovam são o certificado de condição de MEi que é impresso após a finalização e o Cartão do CNPJ, impresso na Receita Federal.


Pronto! Você já é oficialmente um Empreendedor com todas as Obrigações e deveres.

Vamos mudar o Brasil? Empreender transforma! Se quiser mais dicas sobre empreendedorismo, tem um artigo onde falo sobre modelo e plano de negócios, clique aqui e visite-os.

Clique aqui e visite o site do MEI BRASIL

Um abraço e um ótimo final de semana

O QUE É MARKETING DE CONTEÚDO?

O QUE É MARKETING DE CONTEÚDO?

Hoje vamos falar sobre Marketing de Conteúdo. Você sabe o que é isso?
O marketing de Conteúdo é um conjunto de estratégias, que organiza o uso de conteúdo para obter resultados, no nosso caso digitalmente, mas pode ser feito de outras formas também (jornais, revistas, encartes) – ou seja é quando a empresa compartilha o conhecimento que ela tem para informar e atrair um público interessado em seu produto ou serviço.


Não entendi Bruno – Então vamos lá.
Após a internet chegar as nossas vidas, as nossas casas, o processo de compras mudou. Já falamos sobre isso em outras postagens, né? E isso transformou a forma de relacionamento do cliente com as empresas. O que foi ótimo para quem está inserido no mundo digital, pois reduziu custos e aumentou o alcance do conteúdo produzido.

Antes para encontrar conteúdo era necessário ir a uma banca de revistas, uma livraria, uma biblioteca, lá sim, era possível encontrar informações técnicas para solução do seu problema e ainda opções de produtos que eram anunciados nestas mídias e que poderiam ajudar. O que envolvia custos altíssimos e era muito difícil de mensurar, sendo alcançável apenas a empresas de grandes porte que tinham milhares de dólares ou reais para investir em publicidade. Hoje como tudo está online, é possível gerar conteúdo de toda parte. As revistas estão online, as informações são encontradas facilmente em buscadores, portais, sites, etc… tudo podendo ser produzido com baixo investimento, fácil mensuração e sendo possível por empresas de todos os portes, com alcances muito maiores.

O conteúdo deve aproximar o consumidor da empresa, como falamos anteriormente, a empresa deve fornecer o máximo de informações possíveis e soluções antecipando as dúvidas e as dores, para que o consumidor esteja próximo criando um verdadeiro relacionamento com a marca, produto ou serviço, transformando de forma verdadeiramente útil o dia-a-dia do cliente antes mesmo do processo de compra.


Sabe-se que 9 em cada 10 consumidores pesquisam antes de comprar um produto mesmo quando não compram em lojas virtuais e preferem as lojas físicas, eles ainda assim usam a internet para informar e se decidir. A interação portanto, começa neste momento quando dão o primeiro passo, muitas vezes nas ferramentas de busca, depois passando para as redes sociais, fóruns, sites de reclamação, sites, portais, blogs e também pelo site da empresa. Aliás vale destacar que ele (seu site) pode estar na primeira fase de busca, ou apenas na fase final quando procura detalhes técnicos sobre o produto ou serviço.

É necessário compartilhar conhecimento da sua empresa para informar e atrair o publico para obter resultados. Esse conhecimento deve vir através do marketing de conteúdo.


Mas Bruno, meu público não está nas capitais, não é jovem, não faz parte das classes A e B. Será que vale a pena?


Claro que sim! As pesquisas tem revelado que mais de 68 milhões de pessoas acessam conteúdos através de smartphones, e os números de acessos das classes C,D e E vem crescendo a cada ano, assim como a terceira idade que consome não só conteúdo, mas realiza compras e contratação de serviços online.

Mas entre todas as classes e faixas etárias as pesquisas mostram que o mais consumido na internet é: redes sociais, e-mails, vídeos e notícias, ou seja, conteúdo.

Então seu público provavelmente já procura seu mercado, como resolver os problemas deles usando o seu produto ou serviço? O problema é se não é a sua empresa que oferece as informações que ele procura, ai pode ser que o seu cliente esteja encontrando em outros lugares, até mesmo na concorrência. Por isso falo que é tão importante a presença online. Você precisa ser encontrado, o cliente deve ter fácil acesso e contato com você.
Cada empresa precisa se considerar um veículo de mídia. Se sua empresa descobrir isso e colocar em prática uma estratégia de marketing de conteúdo, certamente encontrará muito mais rápido resultados significativos.


Então, você já pensou nas informações que sua empresa pode oferecer ao seu consumidor? Não espere seus concorrentes fazerem algo para você se mexer, saia da zona de conforto e vá produzir!

Quer mais conteúdo? Inscreva-se em meu canal no Youtube Bruno Morais e me siga no Instagram @moraisbruno

Plano de negócios

Plano de negócios

O Plano de negócios é uma ferramenta importante antes de abrir o negócio e a da mudança que se espera realizar. É fundamental na hora de ampliar um negócio. É sempre bom planejar e ter um consigo, sendo alterado e reconstruído de acordo com os objetivos da empresa.

Isso evitará que você acabe passando por dificuldades que poderiam ser evitadas, por não terem sido planejadas devidamente. O Planejamento deve, além de conter idéias, encontrar o ponto comercial ideal, conhecer custos, fornecedores, saiba que planejar é fundamental. Com a elaboração do seu Plano de Negócio, você irá verificar se a sua ideia de negócio é viável, reduzindo riscos e incertezas, identificando pontos fortes e fracos para ajustar ou planejar o seu empreendimento.

O plano de negócios precisa traçar um retrato do mercado, do produto e das atitudes do empreendedor. É preciso incluir nele informações detalhadas do seu ramo, produtos e serviços, clientes, concorrentes, fornecedores e, principalmente, pontos fortes e fracos do negócio, contribuindo para a identificação da viabilidade de sua ideia e da gestão da empresa.
Por meio do Modelo de Desenvolvimento para Planos de Negócio, você poderá elaborar seu plano de negócio passo a passo. Ele te ajudará a:

  • Organizar as ideias ao iniciar um novo empreendimento.
  • Orientar a expansão de empresas já em atividade.
  • Apoiar a administração do negócio, seja em seus números, seja em estratégias.
  • Facilitar a comunicação entre sócios, funcionários, clientes, investidores, fornecedores e parceiros.
  • Captar recursos, sejam financeiros, humanos ou parcerias.
    Mãos à obra nesse importante passo para a concretização do seu negócio!
  1. Iniciando o plano de negócio
    Essa parte é a apresentação da sua empresa e negócio. Ela deve conter um resumo do que será o empreendimento, produto ou serviço. Nesta parte você precisa colocar suas principais ideias, a missão, o mercado, o perfil dos empreendedores, os produtos, os serviços, seus principais beneficios, o segmento de clientes que será atendida, a localização da empresa, o investimento total, os indicadores financeiros, forma jurídica e enquadramento tributário.
    São cinco itens básicos de um sumário executivo:

• Ser simples

• despertar o interesse de quem lê

• transmitir o profissionalismo da empresa

• destacar as conclusões mais importantes

• fornecer uma versão geral e clara do plano
(Exatamente por ser um resumo. deixe esta parte por último.)

2. Análise de mercado
Para colocar um produto ou serviço no mercado sabemos que é essencial conhecer seus clientes, concorrentes e fornecedores para traçar metas sólidas e eficazes. O primeiro passo é conhecer os clientes que você irá atender, o seu segmento de mercado. Segmento de mercado é conjunto de pessoas, empresas ou instituições com características em comum.

Para segmentar pergunte-se:

Quem está comprando?

O que está comprando?

Por que está comprando?

Importante saber os habitos de compra, renda, nível cultural, estilo de vida. Se o cliente é uma empresa, saiba como e quem define as compras. Estas respostas definirão os canais de distribuição que você irá utilizar, ações promocionais, planos de comunicação e politicas preços a serem aplicadas.

A concorrência deve ser avaliada de acordo com sua posição de mercado. Voce deve conhecer os produtos e serviços dos concorrentes, benefícios, preços? Como vendem, porque os clientes compram deles? E porque deixam de comprar? Já o mercado fornecedor é formado por pessoas ou empresas que lhe fornecerão materiais e equipamentos, produtos e serviços. Mantenha este cadastro sempre atualizado, pesquise o melhor preço, a qualidade, condições de pagamento, quantidade mínima e o prazo de entrega. Com a análise de mercado bem feita, você economiza recursos, dando um tiro certeiro no seu objetivo.

3. Qualidade e custo-benefício
Depois de traçar o perfil do público-alvo, é importante pensar no posicionamento do seu produto. Como ele será visto pelo mercado? É um produto de boa qualidade e com bom custo-benefício? De qualidade e com um preço acima da média?
É importante saber o valor que o seu produto carrega, tanto no preço quanto na qualidade, para tomar decisões específicas quando for anunciá-lo. Conhecer o que está vendendo ajuda a convencer outras pessoas a comprá-lo.

4. Operacional e financeiro
Concluídas as etapas de estudo da ideia do negócio, é hora de verificar a melhor maneira de colocar em prática. É a hora de elaboração dos planos operacional e financeiro. Aqui você demonstra como irá desenvolver e comercializar os seus produtos os serviços.
Você descreve como irá fazer para produzir, executar e realizar serviços. Faz as estimativas sobre a capacidade produtiva ou de quantos clientes consegue atender por mês, além de traçar quantos serão os funcionários e as tarefas de cada um. Aqui você também deve colocar o que será necessário para realizar o serviço, equipamentos necessários, matéria prima necessária, e o tempo para cada execução, isso se chama Capacidade Instalada. Ela é influenciada pelo número de funcionários, treinamento, produtividade dos equipamentos, a disponibilidade dos fornecedores e a capacidade de distribuição e entrega.
É bom colocar um layout com a distribuição das funções, processos, com equipamentos e pessoas dentro do ambiente físico.
Descreva os cargos e qualificações para ocupá-los. Caso não tenha aberto a empresa ainda, irá te guiar na hora de selecionar curriculos e montar sua equipe.
No plano financeiro, o empreendedor terá noção do quanto deve investir para concretizar a empresa. O documento deve conter, basicamente, as estimativas de custos iniciais, despesas e receitas, de capital de giro e fluxo de caixa e de lucros. Monte tabelas claras e de facil compreensão.
*Dicas para fazer um bom plano financeiro e operacional:

  • Apresentar cada item com detalhes, etapa por etapa, para oferecer um panorama inicial de operacionalização do negócio, com o objetivo de evitar desperdícios e otimizar as rotinas.
  • Os custos pré-operacionais devem ser projetados, identificando o que será necessário adquirir para que a empresa seja aberta, como o aluguel, a reforma do espaço e as taxas de registro.
  • A lista de equipamentos (ferramentas e veículos, elementos de que a empresa precisará para funcionar) entra no grupo dos investimentos fixos.
    Nesse momento, deve ser observada a necessidade imediata de cada item ou até mesmo se alguns deles podem ser alugados ou terceirizados.

5. Avaliação do plano de negócio
Pronto, seu plano de negócio está completo! Mas o serviço não acaba por aí. Planejar significa antecipar situações e preparar-se para elas, o Plano de negócios pode ser o processo ideal, Não fique ansioso em ver a empresa em funcionamento, planejar com calma é fundamental para reduzir erros, erros estes que podem acabar atrapalhando nas etapas de captar recursos e gerenciar.
Mais uma vez repito. Um bom planejamento é fundamental! (Veja o método PDCA que escrevi anteriormente)

O principal motivo de montar um plano de negócios é criar um base para te guiar a gerenciar sua empresa, abrir um negocio não é fácil. É preciso saber que não será fácil e necessitará de muito trabalho e dedicação; caso seja necessário ajuste as informações durante o processo e estimativas de receitas e custos. Apresente suas ideias para clientes, veja o que acham, se concordam com isso, peça opniões, pesquise e estude. Prepare-se para ter máximo possível de informações, conhecimento e esteja preparado para o mercado que deseja entrar. Faça cursos, assista palestras, faça estudos, consultorias, busque tudo que puder auxiliá-lo na sua caminhada prática de gestão.


Participe de feiras e eventos para o seu mercado consumidor, informe-se sobre empresas e empreeendedores que admira, tenha bons sócios e escolha-os de acordo com suas competências profissionais. Defina os deveres de cada sócio.
Defina aqui quanto será as cotas de cada um e o que acontecerá com a empresa em acaso de separação ou morte. Defina também o que será feito com os lucros. Documente e registre tudo que for acordado.

Busque mentores, encontre pessoas que possam te orientar, das sugestões, tirar dúvidas, recomendações, exemplos. O preço deve estar acima do preço de custo e coerente com as práticas de mercado, para que suas projeções de mercado estejam corretas e de acordo com sua capacidade de entrega, além de compatíveis com seus canais de distribuição e comunicação.

Dentro de seu planejamento financeiro faça projeções de fluxo de caixa, quanto vai precisar para abrir o negócio, e depois de quanto tempo seu caixa ficará positivo?

Conheça a rentabilidade do seu negócio. Ela é o seu lucro líquido dividido pelo seu investimento e indica quanto do investimento está sendo recuperado. Buscar empréstimos com frequência pode compromenter a rentabilidade. Sempre que possível utilize recursos próprios enquanto for pequeno.

Agora, é hora de avaliar cada detalhe e colocar o plano em prática.

Ah! Quer uma CARTILHA com mais informações, modelos e boas práticas? CLIQUE AQUI e baixe gratuitamente um PDF show de bola que o SEBRAE disponibilizou.

Espero ter ajudado, um abraço e até a próxima!